ifevet.com/fr

Reabilitação do doente geriátrico: adaptações em casa

Que adaptações domésticas recomendamos ao proprietário de um animal geriátrico? Superfície antiderrapante: especialmente onde se move mais (alcatifa, tapete desportivo, chão para crianças). Controlar as unhas e evitar o crescimento excessivo de pêlos entre as almofadas: aparar sempre o mais curto possível. Área de dormir isolada do chão e do frio: Cama ortopédica Se o […]

Pigmentação da córnea

Resultado de qualquer tipo de irritação superficial crónica. Geralmente depositam-se no epitélio (por vezes no estroma anterior). Origem: proliferação e migração centrípeta de melanócitos que normalmente permaneceriam no limbo Geralmente associada à vascularização da córnea Etiologia Exposição excessiva: macroblefaro, paralisia do nervo facial. Irritação: entrópio medial, distiquíase. Anomalias da película lacrimal. Estimulação imunitária crónica. **Exceção: […]

Biópsia cutânea: quando é indicada e quais as técnicas a utilizar?

Indicações: Suspeita de neoplasia. Nódulos, úlceras ou feridas que não cicatrizam. Lesões vesiculares ou pustulosas (depois de as infecções terem sido excluídas e/ou tratadas). Lesões cutâneas graves que aparecem subitamente. Suspeita de dermopatias que necessitarão de tratamentos dispendiosos, potencialmente perigosos (por exemplo, imunossupressores) e de longa duração. Quando não há resposta ao tratamento ou quando […]

Anestesia e analgesia em pacientes geriátricos

Pré-medicação Identificar, prevenir e minimizar a dor é essencial no doente idoso. O midazolam parece piorar o equilíbrio e a recuperação em doentes geriátricos com síndrome vestibular periférica. A administração de um antidepressivo atípico, como a trazodona, pode ser considerada, uma vez que é de ação rápida e de curta duração. Nos gatos, a utilização […]

Tratamentos da dermatofitose

Tratamento tópico Aplicação tópica duas vezes por semana de enxofre de cal, enilconazol ou um champô de miconazol/clorexidina Os champôs com miconazol são mais eficazes quando combinados com clorexidina. A clorexidina como monoterapia é ineficaz e não é recomendada. Para tratamento localizado: clotrimazol, miconazol, enilconazol A terapêutica tópica deve ser mantida até se obterem duas […]

Diagnóstico da leishmaniose

A base do diagnóstico da leishmaniose canina assenta em várias premissas: Deteção do parasita por citologia ou histopatologia das lesões. Serologia e proteinograma. Testes adicionais: PCR, citologia da medula óssea, etc. A serologia deve ser sempre acompanhada de um proteinograma, uma vez que este pode fornecer informações valiosas sobre o estado ativo da doença. Os […]

Interpretação básica da espirometria

A espirometria é a medição do fluxo e do volume de gás durante a respiração. Muitos dos sistemas actuais permitem também a medição das pressões nas vias aéreas, o que permite obter uma série de curvas e loops respiratórios muito úteis para a deteção de complicações respiratórias. Neste vídeo, iremos rever a informação fornecida por […]

Traumatismo vertebral

A gravidade e a extensão da lesão medular determinam o aparecimento de situações clínicas particulares com sinais característicos como: Postura de Schiff-Sherrington: o doente encontra-se em decúbito lateral, com hipertonia extensora dos membros torácicos (mantendo a função motora voluntária), hipotonia dos membros pélvicos com normorreflexia (reflexos espinhais intactos) e tendência para opistótonos. Choque espinal: perda […]

Síndrome de Isquémia-Reperfusão Sistémica

Definição: apresentação clínica semelhante à da sépsis, uma vez que os doentes apresentam inflamação sistémica (SIRS), ativação da coagulação (DIC) e rutura endotelial. Sinais clínicos: taquicardia/bradicardia taquipneia febre/hipotermia hipoperfusão falência de múltiplos órgãos hemorragias, edemas, etc. Tratamento: Otimização hemodinâmica: Utilização de terapia precoce dirigida por objectivos. Os nossos objectivos serão uma pressão venosa central de […]